A Herança de Aragorn

Escrito por Olórin. Publicado em Outros

Este é um conjunto de objectos que foram passando pelos descendentes dos Reis até achegar a Aragorn.

Anel de Barahir:

Barahir recebeu este anel como símbolo de amizade eterna entre Finrod Felagund e a Casa de Barahir, e foi dado devido a grandes feitos e por ter salvo a vida de Finrod Felagund, na Dagor Bragollach. O anel foi feito em Valinor com a forma de serpentes gémeas com olhos de esmeralda, as suas cabeças encontram-se por baixo de uma coroa de flores de ouro, uma sustentando-a e outra devorando-a – o brasão de Finarfin e da sua casa. Quando Barahir foi morto em Dorthonion, os orcs cortaram a sua mão como prova de que ele fora realmente morto. Mas Beren filho de Barahir atacou-os e recuperou o anel do seu pai, que foi passando para seus herdeiros (através de Dior e Elwing) até que Arvedui, o último Rei de Arthedain o deu aos Lossoth, os homens das neves da Baía de Forochel, como presente de despedida. E foi uma sorte, pois o seu navio naufragou. Mais tarde os Chefes do Norte resgataram o anel e ele foi mantido em Imladris com as outras heranças: o cetro de Annuminas, a Estrela do Norte e os pedaços da Narsil.

Ceptro de Annúminas:

Foi feito em Numenor. É um Ceptro prateado, originalmente um simbolo dos Senhores de Andúnië (dos quais o primeiro foi Valandil filho de Silmarien) em Numenor. Sobreviveu à queda (graças a Elendil) e passava de descendente para descendente entre os reis de Arnor enquanto o reino durou. Após a divisão do Reino do Norte foi guardado pelas gerações dos reis de Arthedain e dos seus descendentes, os capitães dos Dúnedain. É possivelmente o objecto mais velho, realizado pelos Homens, que sobreviveu até à 3ª Era.

A Estrela do Norte - a Elendilmir:

É um diamante (branco) colocado numa fita de prata para ser colocado na fronte. É dito que esta tradição de reis e rainhas veio de Numenor e a primeira a usar uma jóia semelhante foi a rainha Tar-Elestirne (Erendis) casada com Anardil (Tar-Aldarion) filho de Tar-Meneldur e da rainha Almarian. Aldarion levou para Numenor um diamante branco como presente para Erendis de uma das suas viajens à TM. Durante os seus esponsais Erendis colocou a jóia numa fita de prata e pediu a Aldarion que lha colocasse na fronte, querendo com isto dizer que nenhum presente colocaria ela acima daquele e, na realidade, nunca mais quis outra jóia.
É de referir que o Elendilmir não podia ser usado juntamente com o Um anel se o utilizador desejasse ficar invisível, o Elendilmir teria que ser coberto pois brilharia intensamente. O Elendilmir não é o diamante branco que Aldarion deu a Erendis, ela apenas foi a primeira a usar este tipo de ornamento, o Elendilmir era feito de cristal élfico que estava acoplado a uma fita de mithril e foi passando de Silmarien até Elendil que o levou com ele e passou a ser uma prova de realeza no reino do Norte, Arnor. Quando esta jóia se perdeu, aquando da morte de Isildur, os ferreiros élficos de Imladris fizeram uma jóia de grande beleza para Valandil, filho de Isildur, mas não tinha potência da original. A original foi descoberta no final da 3ª Era na torre de Orthanc onde Saruman a manteve numa pequena caixa juntamente com uma fina corrente que antes tinha estado à volta do pescoço de Isildur e sem duvida alguma teria servido para carregar o Um anel. Saruman encontrou estas jóias no local onde Isildur morreu, é claro.

Narsil

A espada de Aragorn II, e de Elendil antes dele. Elendil chamou-lhe Narsil mas quando este morreu durante o cerco de Barad-dur, na 2ª Era, a espada partiu-se. Na 3ª era foi de novo forjada e Aragorn chamou-lhe Anduril (Chama do Ocidente). Do Senhor e Senhora de Lórien, Arathorn recebeu uma bainha com flores e folhas de prata e ouro e em runas estava escrita a linhagem da espada e o seu nome e a partir daí sempre que a lâmina saísse dessa bainha não mais seria manchada ou partida.

Fragmentos de Narsil

Juramento de Finrod a Barahir

O Anel de Barahir

Fragmentos de Narsil

Este artigo foi escrito por Olórin