Portal           Istya           Galeria
Fórum Tolkienianos » Os Livros » Grupo de Leitura » O Senhor dos Anéis » Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada

Autor Tópico: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada  (Lida 485 vezes)


Dáin II Ironfoot
Administrador
Elfo
*****
Offline Offline


Mensagens: 668

Baruk Khazâd! Khazâd ai-mênu!

Ver Perfil E-mail
Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« em: Fevereiro 05, 2018, 01:40:26 am »
Sejam então bem-vindos ao primeiro capítulo d'O Senhor dos Anéis -  Uma Festa Muito Esperada!




Citação de:  Página 35
"Quando o Sr. Bilbo Baggins, do Fundo do Saco, anunciou que celebraria em breve o seu 111.º aniversário com uma festa de grande magnificência, falou-se muito e houve muita excitação em Hobbiton. Bilbo era muito rico e não menos excêntrico e havia sessenta anos que era o espanto do Shire, desde o seu extraordinário desaparecimento e o seu inesperado regresso. As riquezas que trouxera das suas viagens tinham-se entretanto tornado uma lenda local, e, dissessem os idosos o que dissessem, era crença popular que o monte de Fundo do Saco estava cheio de túneis atestados de tesouros."

Acho que neste primeiro capítulo o que se destaca mais são as muitas referências ao livro O Hobbit e às aventuras de Bilbo. Todo o capítulo roda à volta da viagem de Bilbo, do seu regresso e das suas posses. Existem inúmeras comparações ao longo do texto da sua primeira partida e da nova partida que planeava fazer com a sua festa de aniversário. O próprio título do capítulo I - A Long Expected Party - contrasta com o primeiro capítulo d'O Hobbit - An Unexpected Party. Apesar da palavra party ter uma conotação diferente em cada frase, mas ambas pretendem representar a partida de Bilbo para as suas aventuras. Também aqui o Anel passa a assumir um papel fulcral no desenvolvimento da narrativa, dando-nos a entender que é muito mais que um simples anel mágico que fazia desaparecer quem o usasse.

De certa forma, o início do capítulo faz-nos lembrar a narrativa d'O Hobbit, com nomes engraçados, como "Sr. Bilbo Baggins, do Fundo do Saco", ou frases engraçadas, como "Eleventy-first birthday" (desculpem a não tradução, mas estou a ler em inglês e existem certas expressões que se perdem na tradução e deixam de ter significado para aquilo que quero dizer), ou até mesmo a sensação de actividades agradáveis como "uma festa de grande magnificência". No entanto, o contraste entre o "Bilbo Baggins, O Aventureiro" e o "Bilbo Baggins, O Respeitável e Chato", que conhecemos no início d'O Hobbit não podia ser maior.

Além disso, Tolkien quase imediatamente dá-nos algumas notas ameaçadoras, criando um mistério. Porque razão nos últimos 60 anos, desde a sua aventura, Bilbo nunca envelheceu? Virá algum mal de toda essa situação? Em apenas alguns parágrafos Tolkien dá-nos um plot para o livro.





Citação de:  Página 36
"Por coincidência, Bilbo e Frodo faziam anos no mesmo dia: 22  de Setembro."

Citação de:  Página 36
"Bilbo ia completar 111 anos, número muito curioso e idade muito respeitável para um hobbit (o próprio Velho Took só chegara aos 130), e Frodo completaria 33 anos, trinta e três, também um número importante e o início da sua maioridade"

Uma das coisas mais interessantes e incomuns que aprendemos sobre os aniversários dos hobbits é toda a história dos mathoms e da sua tradição de dar prendas. Este acaba por ser um elemento muito importante na história. Ora vejamos. Aprendemos que os hobbits dão e recebem presentes nos seus próprios aniversários. O que significa que o Anel foi uma espécie de presente de aniversário duplo - dado por Bilbo como um mathom para o seu próprio aniversário, e dado a Frodo como um presente de aniversário normal, no seu dia de anos. Aprendemos também n'O Hobbit que o Anel era um presente de aniversário para Gollum, que agora se tornou novamente um presente. Tal como diz Bilbo a Gandalf depois da festa: "No fim de contas, o objectivo desta festa era, realmente, esse: dar montes de prendas de aniversário e, de certo modo, tornar mais fácil o acto de o dar também (o Anel a Frodo), ao mesmo tempo".

  • Porque razão acham que Tolkien dá a Bilbo e o Frodo o mesmo aniversário? Acham que ele queria que representasse apenas uma coincidência ou algo como uma presságio, um sinal?



Citação de:  Página 38
Elfos e dragões!, costumo dizer-lhe. Couves e batatas estão mais indicadas para ti e para mim. Não te metas nos assuntos dos teus superiores, ou ainda acabas por te meter nalgum sarilho tão grande que não saberás sair dele, digo-lhe. E podia dizê-lo também a outros...»"

Neste capítulo aprendemos também que os hobbits são bastante felizes com o seu mundo limitado e olham para as influências externas com alguma preocupação e desdém. Acabam por ter uma espécie de satisfação infantil na sua aproximação ao mundo -  tudo muito simples e claro, procurando quase sempre o lado divertido da vida. São seres muito simples, felizes no seu canto do mundo, cujas preocupações são coisas como festas de aniversário. Apesar disso, acho que há um certo lado ganancioso nos hobbits, acabando um pouco por estares relacionado com o seu olhar infantil. Percebemos, por exemplo, que eles vão à festa de Bilbo, pela comida e pelos presentes e não porque se importam com ele. Aprendemos que não gostam de longos discursos, mas sim de discursos curtos e óbvios. Acho que há aqui uma certa genialidade na maneira como Tolkien consegue envolver a simplicidade e infantilidade dos hobbits e a maneira como eles olham para o mundo e para a sua zona de conforto.

  • Quais as características mais importantes que aprendemos na festa de Bilbo? Acham que têm influência na forma como olhamos para a evolução de Bilbo e de Frodo ao longo da História?



Citação de:  Página 48
"»Estou velho, Gandalf. Não o pareço, mas começo a senti-lo, cá no fundo de mim. Bem conservado, dizem! - resmungou. - Sinto-me fino, assim a modos que estendido, se entende o que quero dizer... Olhe, como pouca manteiga que foi estendida numa fatia de pão muito grande. Isso não pode estar certo. Preciso de uma mudança, ou qualquer coisa.»


Neste capítulo percebemos a influência que o Anel já tem em Bilbo e do quanto tem vindo a crescer na sua mente. A discussão com Gandalf acaba por confirmar isso. Percebemos que Gandalf é muito mais que um simples feiticeiro e que o seu poder poderá ser bastante perigoso caso ficasse com o anel.

  • Atendendo o aviso que Gandalf dá ao Frodo, acham que ele sabia de que anel se tratava ou teria apenas suspeitas?
  • Acham que foi a melhor opção dar o Anel a Frodo para cuidar dele ou Gandalf deveria ter tomado conta do Anel?
  • Que conclusões podemos tirar da revelação dos poderes de Gandalf neste capítulo? E qual a abordagem que mais gostaram, de Tolkien ou Peter Jackson?


Ilustrações muito interessantes. Ao estilo das animações dos anos 80. https://pikabu.ru/story/illyustratsii_k_tolkinu_raznyikh_avtorov_3925999
« Última modificação: Fevereiro 05, 2018, 11:37:58 am por Eru »
“If most of us valued food and cheer and song above hoarded gold, it would be a merrier world.” - Thorin Oakenshield

With the beginning of a new Era, Ysgrimir was renamed Dáin II Ironfoot. May this new name bring many merry posts to the Forum.

Dáin II Ironfoot
Administrador
Elfo
*****
Offline Offline


Mensagens: 668

Baruk Khazâd! Khazâd ai-mênu!

Ver Perfil E-mail
Re: Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #1 em: Fevereiro 05, 2018, 01:43:30 am »
É a minha primeira vez neste tipo de actividades, espero corresponder àquilo que já foi feito outrora. Deixo algumas perguntas ao longo da minha análise para que possa servir como uma linha condutora da discussão. Sei que algumas são demasiado óbvias, mas tentei analisar o capítulo do ponto de vista de alguém que nunca tivesse lido os livros!  ;)
“If most of us valued food and cheer and song above hoarded gold, it would be a merrier world.” - Thorin Oakenshield

With the beginning of a new Era, Ysgrimir was renamed Dáin II Ironfoot. May this new name bring many merry posts to the Forum.

Eru
Administrador
Vala
*****
Offline Offline


Mensagens: 4874

Abram alas ao Criador de Arda!

Ver Perfil WWW E-mail

Conquistas

award2
award4
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #2 em: Fevereiro 05, 2018, 01:03:46 pm »
Excelente post Ysg'! :D E que bom pontapé de saída! :thumbup:

Este primeiro capítulo é fantástico. Dá-nos uma boa contextualização para fazermos a ponte entre o que aconteceu entre o fim d'O Hobbit e agora.
No entanto, dispensa a leitura do primeiro livro - qualquer pessoa pode começar simplesmente por aqui :yes:

Citar
O que significa que o Anel foi uma espécie de presente de aniversário duplo - dado por Bilbo como um mathom para o seu próprio aniversário, e dado a Frodo como um presente de aniversário normal, no seu dia de anos. Aprendemos também n'O Hobbit que o Anel era um presente de aniversário para Gollum, que agora se tornou novamente um presente. Tal como diz Bilbo a Gandalf depois da festa: "No fim de contas, o objectivo desta festa era, realmente, esse: dar montes de prendas de aniversário e, de certo modo, tornar mais fácil o acto de o dar também (o Anel a Frodo), ao mesmo tempo".
É uma interessante perspectiva. E acho que nada disto é por acaso... :P Lá está, a versão do próprio Sméagol, quando o seu primo descobriu o anel, é que o queria como presente. Tudo se completa!

Citar
Porque razão acham que Tolkien dá a Bilbo e o Frodo o mesmo aniversário? Acham que ele queria que representasse apenas uma coincidência ou algo como uma presságio, um sinal?
É sobretudo uma ligação, uma continuidade entre as duas personagens. Não vejo nisso outra coisa.

Quanto aos Hobbits, realmente têm uma visão muito simples (e "simplória") da vida - a interrupção do discurso de Bilbo é disso exemplo, tal como a má-vontade por este o continuar! :lol:

Quanto a Gandalf, este supeitava que o Anel não seria apenas um entre outros. A reacção de Bilbo é que o fez desconfiar...
Tenho ideia de que um dos textos dos Contos menciona essa desconfiança. Vou dar uma vista de olhos :D
E penso que fez bem em deixar o Anel com Frodo - sempre passou mais despercebido. Imaginemos que o teria levado - poderia sucumbir ao seu poder ou ser imediatamente retirado por Saruman, quando lho apresentasse...

Deixo aqui uma sugestão de música: o pequeno excerto que Bilbo canta, quando está a sair - que é depois ampliado por Frodo uns capítulos adiantes - foi musicado pelos Tolkien Ensemble. Aqui fica!
Já ouvi tantas vezes estes cds que já não consigo ler estes poemas sem cantar estas melodias :laugh:
https://www.youtube.com/watch?v=U7bIUx_rjYw

Gwen
Editor de Conteúdos
Maia
*
Offline Offline


Mensagens: 1734

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award4
award9
award12
award13
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #3 em: Fevereiro 07, 2018, 01:40:59 pm »
Excelente apresentação Ysgrimir  :clap:

E excelentes questões!  :blink: Na verdade o facto de Bilbo e Frodo fazerem anos no mesmo dia é uma coincidência, ou como diria o Gandalf, um "estranho acaso" pois assim torna mais fácil a Bilbo dar o Anel a Frodo. Já não me lembrava desta referência que Bilbo faz, do facto de dar muitos presentes acaba por também tornar mais fácil o ato de o dar. Mas é evidente que entre Bilbo e Gandalf já estava tudo combinado, ou seja, já há algum tempo que Gandalf tentava que Bilbo desistisse do Anel de sua livre vontade. Acredito que Gandalf nem nunca lhe passou pela cabeça que aquele pudesse ser o Um, ou nunca teria permitido que Bilbo o conservasse tanto tempo. Mas o facto de Bilbo lhe ter mentido no início, de manter a mesma aparência ao longos dos anos, isso deve tê-lo alertado para a importância de Bilbo "abdicar dele", que aquele anel mágico não devia ser "inteiramente bom" ou puro, como o Narya por exemplo, que ele próprio detinha. Apesar de também aqui, Gandalf ter de dar "um empurrãozinho" a Bilbo, desta vez não para sair de casa mas para abdicar do seu anel mágico, faz-nos pensar na importância do nosso querido Hobbit desistir dele de livre vontade, respeitando o seu livre-arbítrio.

Passar o Anel de Bilbo para Frodo, seria também uma preocupação para Gandalf, mas o mais importante era Bilbo conseguir "ainda" desistir dele. Gandalf lidaria depois com Frodo, e talvez até nem deixasse passar tanto tempo até procurar que também ele desistisse do Anel. O facto de Bilbo ter mentido no início, de ter de insistir bastante para lhe "arrancar" a verdade, de entretanto ter conhecido Gollum, deve ter feito Gandalf pensar que o Anel estava de alguma forma maculado, mas penso que só mesmo esta última reação de Bilbo, levou Gandalf a pensar que aquele Anel podia ser algo mais do que só um simples anel mágico, levando-o a procurar mais informações.  :hmm:

É engraçado que os Hobbits podem dar e receber presentes no seu aniversário... Gollum considerou o Um o "seu presente" pois era o seu aniversário, Frodo recebeu-o também no dia em que atingiu a maioridade e Bilbo abdicou dele, dando-o como uma prenda, no dia do seu aniversário...  :wacko:  :P
« Última modificação: Fevereiro 07, 2018, 01:51:04 pm por Gwen »
Lacho calad! Drego morn!

Gimli
Maia
*****
Offline Offline


Mensagens: 1338

That's still count as one

Ver Perfil E-mail
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #4 em: Março 21, 2018, 07:36:35 pm »
Mais uma vez desculpem o atraso, sei que já passou um mês, mas queria ler o capitulo ao mesmo tempo que lia o correspondente ao Reader's Companion, mas esse é um livro que não atrevo a tira-lo de casa e por isso demorei mais.

De facto o capitulo traz inúmeras referencias ao Hobbit, pode-se considerar uma "ponte" entre O Hobbit" e o SdA. Ao contrario do prologo, não é necessário ler "o Hobbit" antes, mas percebemos que existe toda uma historia antes destes acontecimentos.

Aqui Tolkien dá-nos uma ideia de como é o dia a dia deste povo (ou Raça). Muito parecido a Inglaterra antes da revolução industrial e Grande Guerra. A preocupação com os campos, a alegria com o quotidiano, o "desprezo" para com os que estão fora das fronteiras, a forma simploria como levam a vida, os mexericos na "tasca" da aldeia, etc..

Agora respondendo ás questões...

Não encontrei nenhuma referencia para que a data seja a mesma, mas pelo que li, a ideia de terem os dois a mesma data, seria para tolkien fazer um trocadilho. Bilbo e Frodo, juntos faziam 144 anos, o que no Shire é uma "unidade de medida" uma grosa. Em inglês "gross" que é um nome que quer dizer 12 duzias, mas também é um adjetivo, de gordo, grosseiro ou pouco refinado... De certa forma, acho que Bilbo (tolkien) usou isto para insultar de uma forma inteligente os seus convidados. :evil:
Bilbo não podia ser mais diferente de um livro para o outro. Ele conheceu todo um mundo que existe para lá das fronteiras do Shire, e não suportava a falta de curiosidade e de conhecimento dos seus parentes, e há muito que tinha planeado isto. 

A festa introduz-nos varias personagens, nomadamente Frodo, Merry e um pouco do Sam, que serve de ponto de partida para começarmos a criar a personagem na nossa mente. Já Bilbo vemos que é completamente diferente desde o seu miraculoso reaparecimento, no fim de o" Hobbit". Ele quer voltar a ver montanhas, e no fim do capitulo ele diz
Citar
pag.52 ... fazer-me  outra vez à estrada com os anões. É isto que tenho desejado fazer à anos!
Demonstra a impaciência, e o facto de ele estar "farto" do Shire :bye1:

Acho que foi melhor Frodo ter ficado com o anel, apesar de Gandalf ter ficado com suspeitas e não saber do que tratava. Li algures que o anel ilude o coração dos mais sedentos de poder. Então deixar o anel nas mãos daquele hobbit foi a opção mais sensata. :yes:

Acho que o Gandalf de Peter Jackson sabe um pouco mais do que o de tolkien, ambos suspeitam, mas um parece mais desconfiado e amedrontado do que outro.
A tensão entre Gandalf e Bilbo é também mais intensa no livro
Citar
pag.50 "A sua mão pousou, como num gesto instintivo, no punho da sua pequena espada
Bilbo por momentos quis dar uma malha a Gandalf  :beat:

Agora ponho eu uma questão.
Gandalf diz que aneis magicos são raros. E que já andava intrigado da origem deste, mas só depois desta situação com o Bilbo é que ele vai procurar respostas.
Então de onde é que ele poderia achar que este anel tinha vindo?? Não era nenhum dos 3 dos elfos ou um dos nove. Será que ele achava possível que ele tivesse encontrado um dos sete? Ou haveria um ourives clandestino na terra média?  :P


 

Gwen
Editor de Conteúdos
Maia
*
Offline Offline


Mensagens: 1734

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award4
award9
award12
award13
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #5 em: Março 26, 2018, 01:42:55 pm »
Penso que os ferreiros de Eregion fizeram muitas tentativas até chegarem aos aneis do poder, aos verdadeiramente poderosos. È provavel que os primeiros (também mágicos) fossem menos potentes. Talvez Gandald pensasse que pudesse ser um anel menos poderoso, e não um dos Grandes Anéis.  :unsure: Acho que não teria ficado descansado tanto tempo, se imaginasse que podia ser um desses. E muito menos o Um!  :ph34r:
« Última modificação: Março 26, 2018, 01:44:47 pm por Gwen »
Lacho calad! Drego morn!

Eru
Administrador
Vala
*****
Offline Offline


Mensagens: 4874

Abram alas ao Criador de Arda!

Ver Perfil WWW E-mail

Conquistas

award2
award4
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #6 em: Março 26, 2018, 11:14:38 pm »
Agora ponho eu uma questão.
Gandalf diz que aneis magicos são raros. E que já andava intrigado da origem deste, mas só depois desta situação com o Bilbo é que ele vai procurar respostas.
Então de onde é que ele poderia achar que este anel tinha vindo?? Não era nenhum dos 3 dos elfos ou um dos nove. Será que ele achava possível que ele tivesse encontrado um dos sete? Ou haveria um ourives clandestino na terra média?  :P

É uma excelente questão Mestre Anão! ;)

A questão da criação dos Anéis é muito interessante - até daria para a tal nova série TV mas pronta :P
O que nos pode ajudar aqui é o que é dito neste capítulo e no Sil', no último texto sobre "Dos Anéis do Poder e da Terceira Era".
Ora, a Gwen já praticamente disse a ideia geral, confirmada pelo próprio Gandalf:
Citação de: Página 64-65 da Irmandade
Em Eregion, há muito tempo, fizeram-se anéis élficos, anéis mágicos, como vocês lhes chamam, e que eram, claro, de vários tipos: uns mais potentes e outros menos. Os anéis menos potentes foram apenas meras experiências, até a arte de os fazer se desenvolver por completo, e os ferreiros élficos consideravam-nos meras bagatelas. [...] Mas os Grandes Anéis, os Anéis do Poder, quanto a esses não havia dúvida: eram mesmo perigosos
Portanto, houve anéis mais fracos que não fossem considerados "Anéis do Poder". Quantos? Penso que não há números...

Já no Sil é dito que:
Citação de: páginas 305-306 do Sil'
Nesse tempo [...] puseram-se a pensar e fizeram anéis de poder. [...] Os elfos fizeram muitos anéis...
Mais adiante é dito também que:
Citar
[...] Sauron deitou a mão a TODOS os restantes anéis do poder [os restantes são todos os 9 + 7 excepto os 3]

Os apêndices do Regresso do Rei ajudam a compreender este longo processo.
Aproximadamente em 1500 se começa a trabalhar em anéis de Poder, mas só em 1590 é que são feitos os 3 - ie, os últimos três Anéis do Poder, sem ajuda de Sauron. O Um Anel é forjado em 1600 e a guerra começa; é depois dessa data que Sauron recolhe os restantes anéis e os distribui por Anões e Homens.

Assim sendo, penso que inicialmente Gandalf pode ter pensado que era um desses anéis menores, dos primeiros - considerados inofensivos; poderia apenas dar visibilidade e daí a pouca preocupação inicial.

Gimli
Maia
*****
Offline Offline


Mensagens: 1338

That's still count as one

Ver Perfil E-mail
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #7 em: Março 27, 2018, 02:52:24 pm »
Então quer dizer que esses anéis menores, que teriam um puder muito menor, se calhar até insistente, podiam estar em qualquer lado. Dado que nunca foi descrito quantas tentativas foram feitas ou qual o destino deles.

Eru
Administrador
Vala
*****
Offline Offline


Mensagens: 4874

Abram alas ao Criador de Arda!

Ver Perfil WWW E-mail

Conquistas

award2
award4
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #8 em: Março 27, 2018, 05:18:57 pm »
Então quer dizer que esses anéis menores, que teriam um pOder muito menor, se calhar até insistente, podiam estar em qualquer lado. Dado que nunca foi descrito quantas tentativas foram feitas ou qual o destino deles.
Pois, eventualmente perderam-se. Não devia ser uma centena :P
Mas por qualquer motivo podem se ter espalhado alguns e o de Bilbo ser um desses.
Não sabemos o que ia na cabeça de Gandalf! :lol:  :gandalf_b: :alcoholic: :sleep1: :ko:

Gwen
Editor de Conteúdos
Maia
*
Offline Offline


Mensagens: 1734

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award4
award9
award12
award13
Re: Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada
« Resposta #9 em: Março 30, 2018, 06:33:01 pm »


A questão da criação dos Anéis é muito interessante - até daria para a tal nova série TV mas pronta :P
O que nos pode ajudar aqui é o que é dito neste capítulo e no Sil', no último texto sobre "Dos Anéis do Poder e da Terceira Era".
Ora, a Gwen já praticamente disse a ideia geral, confirmada pelo próprio Gandalf:
Citação de: Página 64-65 da Irmandade
Em Eregion, há muito tempo, fizeram-se anéis élficos, anéis mágicos, como vocês lhes chamam, e que eram, claro, de vários tipos: uns mais potentes e outros menos. Os anéis menos potentes fora[m apenas meras experiências, até a arte de os fazer se desenvolver por completo, e os ferreiros élficos consideravam-nos meras bagatelas. [...] Mas os Grandes Anéis, os Anéis do Poder, quanto a esses não havia dúvida: eram mesmo perigosos

Estes "anéis mágicos, como vocês lhe chamam" despertou a minha atenção.  Aquilo que a outras raças parecia magia, não o era para os elfos, (e pelos vistos nem para Gandalf) era algo que para eles era natural. Não quer dizer que qualquer um o pudesse fazer, mas um extraordináriamente habilidoso e que pussesse nisso todo o seu pensamento e todo o seu coração, poderia fazer um trabalho fantastico como os aneis de poder, ou a Elessar ou os silmarils. Claro que era uma obra fabulosa, mas para eles não era magia. Parecia magia aos olhos dos outros povos. Há qualquer coisa do género que Galadriel diz, algures (será na Irmandade do Anel?), parecendo confusa, pois "chamam magia tanto às obras dos elfos como aos ardis do inimigo". O que quer dizer que são coisas muito diferentes. As obras dos elfos (apesar de para as outras raças parecerem mágicas, pois era algo que não conseguiam fazer) eram naturais para eles. Assim como os Hobbits podiam passar despercebidos à Gente Grande, a ponto de parecer magia.

Isto tudo para dizer que talvez as primeiras tentativas de aneis de poder fossem muito fraquinhas, para eles não teriam poder quase nenhum, o que não quer dizer que para outra raça não tivesse um poder relativo. Talvez por isso não deram importância a essas obras nem sabiam o que teria sido feito delas. E isto tudo também me fez lembrar que Saruman também fabricou um Anel  :ph34r: como iremos ver mais à frente.
« Última modificação: Março 30, 2018, 06:38:11 pm por Gwen »
Lacho calad! Drego morn!

Fórum Tolkienianos » Os Livros » Grupo de Leitura » O Senhor dos Anéis » Liv. 1 - Cap. I - Uma Festa Muito Esperada