Portal           Istya           Galeria
Fórum Tolkienianos » Os Filmes e Séries » O Hobbit » A Desolação de Smaug » TDOS - Crítica

Autor Tópico: TDOS - Crítica  (Lida 4685 vezes)


Rucagorn Rotsac
Editor de Conteúdos
Maia
*
Offline Offline


Mensagens: 2912

Rucagorn Rotsac The White Guardian

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award11
award12
TDOS - Crítica
« em: Dezembro 12, 2013, 01:45:42 am »
SPOILERS

Bem este foi o primeiro filme em que nao fiquei ''contente'' quando sai do cinema. Se bem que Eu vi os filmes do LOTR antes de ler, mesmo assim tinha gostado do 1 Hobbit (se bem que ja nao lia o livro ha algum tempo)
Acabei de ler o livro hà uma semana e nunca pensei que pudesse ficar tão diferente.
Tinha a expectativa alta visto o grande score do filme e pensava que este filme iria acabar depois da batalha dos 5 exércitos...Em vez de fazer as cenas mais pormenorizadas como a conversa de Bilbo com Smaug, floresta tenebrosa, bilbo a andar pelo palácio de Thranduil, Beorn...''Gastou-se tempo'' com A luta dos anões com o Smaug, or orcs a atacarem os elfos + lake-town, os anões a ficarem em lake town...
Nao me lembro quem disse quando saimos do cinema: A Desilusão de Smaug   :smash:

Tava ''com medo'' que os anoes ainda matassem o dragao  :blink: mas depois la me ia lembrando que se o Bard tinha 1 flecha preta era para lhe atirar.
Nao me vejo a rever este filme tão cedo, ao contrários dos outros que quando saia do cinema nao podia esperar para ver outra vez.
Foi fixe ver em 3D, as vezes pareciam que as cenas tavam mesmo ao pe  :D

Apesar de tudo o filme está ''emocionante'' mas na minha opinião foram longue demais.
Ate amanha   :bye1:
« Última modificação: Dezembro 13, 2013, 11:15:49 am por Rucagorn Rotsac »


Eru
Moderador Global
Vala
*****
Offline Offline


Mensagens: 4861

Abram alas ao Criador de Arda!

Ver Perfil WWW E-mail

Conquistas

award2
award4
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #1 em: Dezembro 12, 2013, 02:03:23 am »
Ora eu pelo contrário! Este filme impressionou-me! :clap:
E, ao contrário do que aconteceu o ano passado, gostei! E conto rever brevemente! :assob:

Detalhadamente: já disse e volto a dizer que livro e filme são coisas diferentes e que não se podem misturar. As ideias "genéricas" do livro estão lá, o resto é desvaneio cinematográfico de PJ.
Se formos a listar as incoerências com o livro nunca mais saimos daqui:
- cena inicial: Gandalf nunca disse a Thrain para retomar Erebor, ele encontrou-o louco em Dol Guldur;
- a entrada na casa de Beörn tem mais piada no livro, gradualmente. Ali foi a correr!
- o caminho da floresta está encurtado, a questão das aranhas também - o grupo desviava-se do caminho por ver e ouvir banquetes élficos na floresta!
- a fuga dos barris era de outra forma, e a estadia no Palácio de Thranduil era muito maior e não momentânea;
- a perseguição nos barris está muito engraçada mas foge a 100% do livro;
- Bard é o Legolas feito homem ou o Will Turner (Piratas) aqui do sítio - e, claro, a entrada em Esgaroth inventada;
- a divisão do grupo na Cidade do Lago deu-me comichão;
- a grandeza da porta de Erebor é... demais para o que está nos livros;
- a entrada secreta fica noutro ponto completamente diferente;
- não há qualquer túmulo do Rei Bruxo de Angmar e se houvesse não era ali, ao lado de Dol Guldur, mas sim em Carn Dum, em Angmar. Aliás ele nunca foi morto ou apanhado por ninguém! Simplesmente conseguiu fugir da última batalha por Arnor e nunca mais foi visto. Nem nunca existiram sepulturas para os Nazgül;
- a investida de Gandalf a Dol Guldur é secreta e só para confirmar que é Sauron. Não há lá qualquer exército nem coisa que o valha, nem Sauron tem tanto poder naquele momento;
- a entrada de Bilbo em Erebor e a conversa com Smaug é mínima, depois do roubo da taça;
- a saída do Dragão é seguida da entrada dos anões na montanha, onde já não há aquele combate todo;
- o "spot" para matar Smaug é visto unicamente por Bilbo sem haver "spoilers" de Bard...
- a seta preta que o meta é agora substituída pelo mega virote da mega besta!

Isto é apenas uma "pequena" lista das grandes mudanças.
E dito isto: o filme vale a pena? Sim! Vale como filme por si! É um grande filme de aventura e fantasia, que pontua melhor a acção do que o primeiro. ;)
Para além de conseguirem desenvolver bem algumas personagens (como Thorin e Bilbo) introduzem elementos que têm muito potencial para o 3º filme.

Numa escala de 0-10 leva, da minha parte, um 9. Subiu, e bem, face ao primeiro.

P.S. - eu não me poderia calar: QUE GEOGRAFIA É AQUELA??? Por onde correm eles entre Carrock e a casa do Beörn??? Que "lago" é que têm de atravessar para chegar a Esgaroth se a cidade é relativamente perto da entrada do rio no lago?... E, claro, que planície é aquela entre o fim do lago e Erebor? Já para não falar em Dale no cimo daquele monte  :assob: Mas pronto: PJ, estás perdoado. Aquele Smaug vale por muito!!! :clap:

Gandalf
Administrador
Maia
*****
Offline Offline


Mensagens: 1694

Two eyes, as often as I can spare them

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award2
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #2 em: Dezembro 12, 2013, 03:07:19 am »
Julgo perceber porque sentiste isso Rucagorn, principalmente se leste o Hobbit há pouco tempo. Mas estou mais pelo Eru. Temos que conseguir separar ambas as formas de contar a mesma história (no essencial). Ainda hoje me lembraram o que fizeram n'As Duas Torres - a introdução dos Elfos no Abismo do Elmo - não foi essa "grave" também? E, no entanto, caiu tão bem. Acho que se se vão fazer adições/alterações, que prevaleça o "bom gosto" e o respeito pelo espírito da estória. Acho que tudo isso esteve garantido. Face a todas as alterações muito bem levantadas pelo nosso Deus de serviço deixo a minha curta impressão:

- cena inicial: Gandalf nunca disse a Thrain para retomar Erebor, ele encontrou-o louco em Dol Guldur - escusada
- a entrada na casa de Beörn tem mais piada no livro, gradualmente. Ali foi a correr! - uma perda, realmente.
- o caminho da floresta está encurtado, a questão das aranhas também - o grupo desviava-se do caminho por ver e ouvir banquetes élficos na floresta! - senti mais falta do episódio da travessia do rio encantado
- a estadia no Palácio de Thranduil era muito maior e não momentânea; - pareceu-me o tempo certo
- a perseguição nos barris está muito engraçada mas foge a 100% do livro; - agreed!
- Bard é o Legolas feito homem ou o Will Turner (Piratas) aqui do sítio - e, claro, a entrada em Esgaroth inventada; - achei todas as adições à Cidade do Lago muito bem metidas: a construção da personagem do Bard, o estabelecimento da Cidade do Lago como uma cidade funcional, realmente, a expansão do papel do Master, etc.
- a divisão do grupo na Cidade do Lago deu-me comichão; - também a mim!
- a grandeza da porta de Erebor é... demais para o que está nos livros; - é, mas não me importa! :D
- a entrada secreta fica noutro ponto completamente diferente; - sobre isso não me pronuncio, principalmente contra o Geógrafo de Arda
- não há qualquer túmulo do Rei Bruxo de Angmar e se houvesse não era ali, ao lado de Dol Guldur, mas sim em Carn Dum, em Angmar. Aliás ele nunca foi morto ou apanhado por ninguém! Simplesmente conseguiu fugir da última batalha por Arnor e nunca mais foi visto. Nem nunca existiram sepulturas para os Nazgül; - Olha que aqueles "Altos Penhascos" são em Rhudaur, o PJ disse num vídeo de produção qualquer
- a investida de Gandalf a Dol Guldur é secreta e só para confirmar que é Sauron. Não há lá qualquer exército nem coisa que o valha, nem Sauron tem tanto poder naquele momento; - é verdade. Mas se há um exército para atacar Erebor no final, tinha que vir dali...
- a entrada de Bilbo em Erebor e a conversa com Smaug é mínima, depois do roubo da taça; - ficou ótima assim
- a saída do Dragão é seguida da entrada dos anões na montanha, onde já não há aquele combate todo; - já viste o que se perdia...? :P
- o "spot" para matar Smaug é visto unicamente por Bilbo sem haver "spoilers" de Bard... - se calhar foi demasiado "spoiler", sim...
- a seta preta que o meta é agora substituída pelo mega virote da mega besta! - coerente também, não, caríssimo Historiador?a e só para confirmar que é Sauron. Não há lá qualquer exército nem coisa que o valha, nem Sauron tem tanto poder naquele momento;[/b] - é verdade. Mas se há um exército para atacar Erebor no final, tinha que vir dali...
- a entrada de Bilbo em Erebor e a conversa com Smaug é mínima, depois do roubo da taça; - ficou ótima assim
- a saída do Dragão é seguida da entrada dos anões na montanha, onde já não há aquele combate todo; - já viste o que se perdia...? :P
- o "spot" para matar Smaug é visto unicamente por Bilbo sem haver "spoilers" de Bard... - se calhar foi demasiado "spoiler", sim...
- a seta preta que o meta é agora substituída pelo mega virote da mega besta! - coerente também, não, caríssimo Historiador?

Acrescento:
- as cenas do romance Tauriel/Kili - não discordo do princípio, apenas acho que há uma fala ou duas onde vão longe de mais no tom.

O meu veredicto é também 9/10 :yes: E venha o outro! :D
"O mais sábio dos Maiar era Olórin. [...] A sua disposição levou-o muitas vezes à casa de Nienna e com ela aprendeu a compaixão e a paciência."

É verdade, mas não confiem demasiado! ",


Azaghal
Artífice do Tesouro
Maia
*****
Offline Offline


Mensagens: 2797

Túrosto, i anvorima Valakhosta

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award2
award4
award7
award10
award12
award13
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #3 em: Dezembro 12, 2013, 10:21:15 am »
Analisar "O Hobbit" enquanto livro e filme, considerando que ambos têm necessariamente de ser diferentes é um exercício ingrato pois vão sempre haver opiniões diferentes.

Eu vejo esta questão um pouco ao lado do Rucagorn, mas também aceito o que Gandalf e Eru pensam.

Como filme é impressionante, com as cenas de acção bem doseadas e com as "partes mais lentas" bem incluídas. PJ prova-nos que é um excelente contador de histórias.
Como adaptação do livro pareceu-me muito fraco, principalmente pelas alterações introduzidas para que o filme não fosse apenas para hardcore fans como nós.

Houve cenas que me causaram muita comichão, mais ainda do que a "divisao" do grupo na cidade do lago.

A cena inicial pareceu-me uma adaptação bem feita, pois assim escusa-se a explicar mais profundamente a história de Thrain e quem não conhece os livros ia achar estranho.
A chegada à casa de Beorn foi tão rápida que não se chega a perceber a importância que ele tem naquela zona (entre as montanhas nebulosas e a floresta tenebrosa) - poderia ter sido mais fiel ao livro.
O caminho da floresta. Não se chega a perceber o desespero que se sente ao ler o livro. Pareceu-me uma "bad trip" dos atores, com alucinações à mistura e tudo.
A luta de Bilbo com as aranhas - Senti falta da canção e do "baile" que ele dá às aranhas. Cena que considero importante para se entender a "inteligência" de Bilbo quando num aperto.
A estadia no palácio de Thranduil está genericamente bem retratada, apenas a cena da fuga poderia ter sido mais bem desenvolvida (talvez nas extended apareçam mais coisas)
Thranduil negoceia com Thorin a "ajuda" dos elfos em troca de que? da Arkenstone, ou de um Silmaril (é que na extended do primeiro filme pareceu-me que o que Thain mostra a Thranduil no inicio é uma dessas joias - posso estar enganado)
O que realmente me causou confusao e comichão é a "relação amorosa" entre Kili e Tauriel (só desculpo o PJ por esse devaneio se ele mme disser que tinha comido uns cogumelos estragados) - Completamente desnecessária.
Legolas? - Não, não e não. ainda para mais com ele a ver um retrato do Gimli (mesmo os que não são fãs mas que se lembrem da trilogia LOTR não entendem)
A perseguição dos barris aceita-se em prol de um pouco de ação no filme numa parte do livro em que apenas se imagina Bilbo encavalitado num "cavalo bojudo que apenas quer rebolar na relva." - Tirado de memória do livro
A cidade do lago pareceu-me bem e Bard em modo legolas humano nao me incomodou assim tanto. Já o mega virote e a mega besta parecem-me demais. Acho que ia gostar muito mais de ver Bard a falar com uma seta "normal" e a usar o seu arquinho como nos livros.
A divisão do grupo é desnecessária enquanto "desvio" do livro, mas provocada por outros "desvios" anteriores portanto aceita-se.
A geografia é estranha nos filmes e PJ faz com que pareça ainda mais estranha - Então os anões saem de manha da cidade do lago, imagino que por volta da hora do almoço tenham chegado a Erebor e ao fim da tarde já tinham conseguido empoleirar-se todos junto da entrada secreta.
O comportamento dos anões nessa cena faz-me pensar que o PJ não é lá muito fã dos meus familiares. Pareceram-me mais "nervosos" do que "desesperados". Em termos de tempo não se alterava em nada o filme se eles estivessem sentados a olhar para a porta esperançados enquanto o sol se punha e quando nada acontecesse começavam a "bater"  na pedra. E Thorin a projetar a sua própria sombra para lá... Só conseguia pensar "que estupidos"...
A conversa de Bilbo com Smaug podia ter sido mais explorada. E aquela menção ao "precious" - que arrepio
A porta de Erebor pareceu-me bem
A luta dos Anões com Smaug em Erebor - Desnecessária. Outra coisa desnecessária é eles dizerem que não tinham como "fugir" quando tinham acabado de entrar por um caminho secreto. são estas coisinhas que me fazem comichão e passa para quem vê o filme uma ideia errada acerca dos anões.
Smaug - impressionante mas "pouco" brilhante (ele deveria estar coberto com gemas e brilhar (como está no livro), mas já percebi que PJ tem dificuldade com brilhos (espadas e afins)

Gandalf em Dol Guldur - Entende-se em prol do decorrer do filme (e do primeiro com a presença de Radagast). Corrijam-me se estiver enganado. Ele só lá vai uma vez e é quando descobre Thrain e o anão lhe dá a chave e o mapa. Também descobre nessa altura que é algo mais que um "necromante" que lá se esconde. Agora no filme entende-se ter ficado prisioneiro e não acho que se vá safar com a ajuda de uma traça e de uma águia. Escrevam o que vos digo no terceiro filme vamos ter 3 grandes cenas de acção. A morte de Smaug, a batalha dos 5 exércitos e o ataque do "conselho branco" a Dol Guldur (penso até que esta será a cena inicial com Radagast a pedir ajuda a Galadriel). Segundo o livro o exército Orc não sai de Dol guldur, mas também não me recordo de onde sai.
Sauron - Uma das poucas cenas que gostei. O "olho" já não parece assim tanto um olho. É só para calar uma quantidade de pessoas que não entendiam que Sauron não era só aquela bola de fogo no topo de Barad-Dur.
Bolg - Um vilão ainda pior que Azog. aquele "implante" na cabeça é um "mimo (modo irónico ligado).
As sepulturas dos nove espectros do anel - Necessária e entende-se para "corroborar" a ideia de que é Sauron que se esconde em Dol Guldur. E também vale pelo "pulo" que as meninas deram quando aquele passarito "saltou" para fora da tela.

Analisando em dois aspectos distintos penso que o filme como filme de aventura e fantasia é muito bom e dou-lhe um 8/10. Como adaptação do livro parece-me que as liberdades do PJ atingiram um novo patamar. leva 3/10.

Só para terminar: Legolas? Não, não, não...... eu sei que repeti mas causa-me muita comichão, mesmo muita, e aquele ar de "engatatão".... E o surf em orc, e o "saltitar" de anão em anão.... é Legolas a mais para uma história de anões (e já agora elfos também)



Silmarien
Editor de Conteúdos
Humano
*
Offline Offline


Mensagens: 467

Mad in Middle Earth

Ver Perfil WWW E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #4 em: Dezembro 12, 2013, 12:02:48 pm »
Caríssimos,

Pouco tenho a acrescentar aos mui detalhados comentários acima sobre os desvios entre livro e filme. Com efeito, este talvez venha a ser, dos três, o filme onde mais se nota como o Peter Jackson encheu chouriços para fazer três filmes em vez de um ou dois. Ou não! Sabe-se lá o que o próximo ano nos reserva? Num comentário de perspectiva geral e tentando julgar o filme por si só e no enquadramento com os demais filmes d'O Hobbit e O Senhor dos Anéis as minhas principais notas são:

A quantidade de orcs que meteram neste filme e no anterior é francamente irritante, e desconfio que no terceiro ainda vai piorar.  :daa: OK, eu percebo que é preciso às vezes adicionar algum elemento dramático, mas é demais, demais! A segunda metade do filme, que se centra mais no Smaug como antagonista, é muito melhor (mais pormenores infra...)

Achei interessante a caracterização do Beorn, tenho pena da sua passagem pelo filme ter sido tão rápida. No entanto nos poucos momentos que teve transmitiu, a meu ver, perfeitamente a ideia de um ser de um outro tempo e de um outro mundo.

Azaghal, eu também reparei nessa cena das jóias na Extended. Fartei-me de rir porque aquilo me lembrou uma cena do Pretty Woman em que o Richard Gere a gozar faz a mesma coisa à Julia Roberts  :lol: (não sei se já repararam que a minha cabeça faz às vezes associações de ideias muito estranhas). Silmarils duvido muito que fossem, mas creio que me lembro de ter lido qualquer coisa sobre o Thranduil ter encomendado umas jóias aos Anões e depois de feitas eles quiseram renegociar o preço? Ou se calhar estou a confundir isto tudo com a história do Nauglamir (e creio definitivamente que aquelas jóias não podiam ser o Nauglamir).

A introdução da Tauriel podia até ter corrido bem mas como todos nós receávamos, é um desastre. Reparem: eu até gostei das cenas em que a Tauriel, com uma certa impetuosidade e sentido de justiça "juvenis" exorta o Legolas a fazer o que está certo e lutar por todos os povos da Terra Média em vez de enfiar a sua cabecinha loira na areia como o Thranduil. Agora os assomos pseudo-amorosos Kili / Tauriel / Legolas são maus, muito maus. Só não são o pior "romance" que alguma vez vi no cinema, porque o primeiro lugar de tal duvidosa distinção continua a pertencer ao Anakin e Amidala na Prequel Trilogy da Guerra das Estrelas.  :puke:

Gostei de rever o Legolas.  :wub: E gostei de vê-lo a lutar um pouco mais à bruta na Cidade do Lago.

Gostei do Bard e da forma como "reforçaram" a história dele, muito boa interpretação do Luke Evans. Agora a historieta da besta fixa e da seta negra já me pareceu desnecessária, enfim.

Mas perdoo quase tudo pelo Smaug.  :w00t2: ASSOMBROSO!  :w00t2: Mais um triunfo para a WETA. Como já conheço o trabalho do Benedict Cumberbatch receava um pouco "vê-lo" a ele quando aparecesse o Smaug mas não... é um personagem completo que nos surge ali, e do mesmo modo que ninguém vê o Andy Serkis quando o Gollum está no ecrã, aqui aconteceu a mesma coisa. A caracterização, a voz, os movimentos do dragão são brilhantes.

Sendo embora mais um desvio à história, gostei do facto de os Anões utilizarem o seu conhecimento das minas e das forjas de Erebor contra o Smaug. A ideia é original e para mim demonstra um certo respeito pelas aptidões e engenho deste povo, em vez de mostrar uma mera luta com recurso às armas e à violência (que naturalmente seria impossível de vencer contra um tal inimigo).

Gostei do facto de se notar a evolução das personagens do Thorin e do Bilbo, e que o filme em si seja já bastante mais sombrio que o primeiro... aquele final, tenho a dizer, é absolutamente CRUEL!  :crazy: Ter de esperar mais um ano!
"No tempo de Tar-Elendil o seu primeiro descendente foi uma filha, Silmarien, mãe de Valandil, primeiro dos Senhores de Andunie, no Ocidente da terra, famosos pela sua amizade com os Eldar. Dele descenderam Amandil, o último senhor, e o seu filho Elendil, o Alto."

Eru
Moderador Global
Vala
*****
Offline Offline


Mensagens: 4861

Abram alas ao Criador de Arda!

Ver Perfil WWW E-mail

Conquistas

award2
award4
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #5 em: Dezembro 12, 2013, 01:03:34 pm »
Azaghal, eu também reparei nessa cena das jóias na Extended. Fartei-me de rir porque aquilo me lembrou uma cena do Pretty Woman em que o Richard Gere a gozar faz a mesma coisa à Julia Roberts  :lol: (não sei se já repararam que a minha cabeça faz às vezes associações de ideias muito estranhas). Silmarils duvido muito que fossem, mas creio que me lembro de ter lido qualquer coisa sobre o Thranduil ter encomendado umas jóias aos Anões e depois de feitas eles quiseram renegociar o preço? Ou se calhar estou a confundir isto tudo com a história do Nauglamir (e creio definitivamente que aquelas jóias não podiam ser o Nauglamir).
Tens razão Silmarien, eu lembro-me de ver isso - jóias que foram encomendadas e depois Thror ficou com elas. As Silmarils não pode ser, pelo que são jóias "normal" mas que o Thranduil gostava de reaver para usar num belo colar para as suas festas de arromba :grin: :evil:

Miss Tolkien
Elfo
****
Offline Offline

Mensagens: 578

Ver Perfil E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #6 em: Dezembro 12, 2013, 03:19:22 pm »
Eu também não fiquei lá muito bem impressionada com o filme, mesmo tentando pôr de parte o livro. Em várias situações pensei "o que é isto?".

Como já foi dito, concordo a cena de Beorn podia ter sido mais demorada (no livro é muito mais engraçada).

Aquele romancezeco entre a Tauriel e o Kili, + o Legolas, tão inútil e forçado !! Uma perda de tempo.

Achei o Legolas assustador. Parece um boneco de cera ou uma personagem animada por computador, está muito estranho. E as cenas deles, o surf e pinchos em cima de anões também muito estranho. Os elfos não podem simplesmente tirar uma espada da bainha? é preciso mil malabarismos?

O Smaug, maravilhoso (parece mais realista que o Legolas!) e até gostei desta versão mais estendida com os anões lá na montanha, apesar de algumas coisas que eles faziam serem esquisitas: por exemplo,  o Thorin andar de carritel naqueles veios por onde passava o ferro (ou lá o que é  :unsure:), aquilo não derreteria o carritel? devia estar muito quente pelo menos, :unsure:

A cidade do lago parece-me "moderna" de mais.

Aquele parte do Sauron com olho, dentro do olho, dentro do olho... estranha!

Recordando o primeiro, este filme parece-me que não segue uma linha muito coerente. O primeiro parecia-me mais infanto-juvenil (com aquele rei gnomo que parecia saído da Disney, e o Radagat com o  Sebastian  :XD: ) e este já ter um ar, diferente. Não sei explicar bem. Terei de ver os dois seguidos, mas fiquei com essa impressão, que mistura diversos "estilos".


Nota geral: 5/10


Aulë, o Valar
Humano
***
Offline Offline


Mensagens: 128

Pai dos Anões

Ver Perfil E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #7 em: Dezembro 12, 2013, 03:42:28 pm »
Eu vou ver hoje o filme, e já me ando aqui a preparar. Bem, pelo que foi dito até agora, não me parece que vá ser um mau filme. Dispenso é as cenas amorosas -.-' ...
Parece-me que vou gostar das cenas do Gandalf e do Radagast, e se a porta de Erebor é exagerada, deveria ser ainda mais  :lol: visto que mostra a força e o poder da minha raça favorita  :gimli_b:
Em relação á floresta - ausência do rio encantado?? hum, mau  :(
Aparece o Bolg? isso é excelente, visto que o Azog nunca deveria ter aparecido lol
Enfim o Smaug, desde o inicio é o que menos me preocupa, visto que tenho 200% certeza que o Peter Jackson e a produçao do filme (relevancia para a WETA) não iriam desiludir em relação ao dragão. Os 3 filmes poderiam ser uma valente porcaria, mas o smaug iria estar perfeito  :winner:


Posto isto, logo faço a minha critica  :beat:

Bijuca
Maia
*****
Offline Offline


Mensagens: 2613

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award2
award4
award13
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #8 em: Dezembro 12, 2013, 04:09:25 pm »
Bom eu ADOREI o filme!!!!!! :clap:  :clap:  :clap: :clap: Diga-se de passagem pus os livros de lado e vi o filme disposta a apreciar uma boa história!!!  :dribble: E foi muito bem conseguida!!!!

Como quase todos referiram o romance Kili/Tauriel é um muito desnecessário......e achei dum mau gosto tremendo a piadinha do Kili quando a Tauriel andava a revistá-los....... :thumbdown: enfim como diz o Azaghal o tio Peter devia estar sob a influencia dum daqueles cogumelos do Radagast!!!!!

Os Orcs não foram tão excessivos como no primeiro filme, e a cena dos anões em Erebor com as forjas achei genial!!!!!! :w00t2:

A fuga nos barris foi espetacular, um bocado exagerada nas acrobacias do Legolas......mas tb já no Senhor do Aneis foi assim, por isso até é coerente!!!!! :)

O Smaug...... fantástico! E o Peter Jackson conseguiu ir buscar o desenho de Tolkien e fazer uma cena com a posição igual!!!!! Foi lindo!!!!!! :w00t:

Gostei bastante mais deste filme, achei que as introduções e modificações foram muito bem conseguidas e deram ao filme um certo tom de grandiosidade!!!!!

Classificação????? 9/10!!!!!!!! :clap:



Aulë, o Valar
Humano
***
Offline Offline


Mensagens: 128

Pai dos Anões

Ver Perfil E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #9 em: Dezembro 13, 2013, 04:29:09 am »
Bem, visto o filme, cá vamos nós...
Tentando ao máximo esquecer que o livro existe e imaginado que foi apenas um filme, aqui vai a critica:

Achei a primeira parte do filme a pior dos 5 filmes. Tudo parecia feito e posto á pressa, mas... a 2ª parte deu cabo de tudo. Completamente arrebatadora!  :winner:
Acho que a melhor maneira de fazer esta critica é mesmo fazer uma lista dos pontos positivos e negativos, e como o melhor está no fim, começo pelo pior  B)

 :thumbdown:

- Tudo começa mal com a chegada á casa de Beorn. A sério que eles tiveram que fugir e esconder-se na casa dele? De seguida, Beorn mal feito e passado 10 minutos - puff, o grupo sai da casa rumo á floresta...
- Mirkwood parece demasiado pequena. A sensação que eu tinha era de uma floresta muito mais vasta que parece que nunca mais acaba.
- Quando os anões se tornam prisioneiros de Thranduil, a sensação que fiquei foi de que faltava ali qualquer coisa. Talvez os banquetes...
- Durante o romance entre o Kili e Tauriel eu estava: Oh por favor :daa: não faz o minimo sentido, é inutil e parvo.
- Ainda no palácio, o pouco relevo dado á festa organizada por Thranduil, faz uma pessoa comum que não leu o livro questionar a falta de segurança no momento em que o Bilbo liberta os anões.
- A personagem da Tauriel em si é desnecessária. O filme não precisava de mais um elfo!
- Não gostei do facto de Bard já saber o "ponto fraco" de Smaug... supostamente seria Roac, ou outro tordo (já não me lembro) a dar-lhe ideia da descoberta de Bilbo.  :neutral:
- E por ultimo, aquela black arrow que o Kili levou é completamente desnecessária... o Kili parece ter mais importância do que supostamente deveria ter... para quê????


 :thumbup:

- Toda a expedição de Gandalf a Dol Guldur é excelente. Gostei da ideia dos exércitos de orcs e wargs partirem de lá ao bom jeito de Isengard ou Minas Morgul :)
- A luta com as aranhas em Mirkwood pareceu-me bastante bem elaborada. Sim, faltam as cenas em que o Bilbo se "mete" com elas, mas gostei bastante  :P
-  Gostei da perseguição nos barris, dá acção numa cena que teria pouco impacto. Não gostei foi de ter para lá no meio Legolas e a Tauriel -.-'
- LakeTown está genial. Simplesmente perfeita!
- A luta entre o Legolas e o Bolg está brutal.
- O portão de Erebor é majestoso, que coisa mais linda!!  :D
- A porta secreta está bastante simples, tal e qual como a imaginei. Penso que a ausência da cena em que os anões não sabem da localização da porta não é grave e que o filme ganhou com isso.
- Smaug... UAU!!!!! simplesmente perfeito. Não existem palavras para descrever. É demasiado bom. Apesar da ausência das gemas e pedras que lhe revestem a barriga, julgo que não faz diferença dado o resultado final!
- A luta dos anões com Smaug poderia ter sido um grande fracasso, mas acabou por me surpreender. Gostei muito.
- E deixei esta para o fim. De todos os 5 filmes foi o que mais marcou. Não foi o Smaug (eu sei...eu sei...). Quando Sauron aparece aos olhos do Gandalf eu fiquei completamente arrebatado. Fonix, que cena tão boa. Fiquei mesmo de boca aberta, sem reacção. Melhor cena de qualquer filme baseado nas obras do Tolkien!!!!!!!  :eye_b:


Posto isto, se eu pudesse classificar o filme por partes daria 5/10 á primeira e 9/10 á segunda. Como não o posso fazer cá vai:
Nota final: 8/10

Maharet
Maia
*****
Offline Offline


Mensagens: 2013

Queen of the Damned

Ver Perfil WWW E-mail

Conquistas

award2
award6
award12
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #10 em: Dezembro 13, 2013, 03:22:30 pm »
Bom, precisei de uns tempos para digerir porque num filme em que há tanta coisa que se gosta imenso e outras que não se gosta nada é díficil arranjar uma resposta para uma nota.
No final o balanço é positivo, e penso que seja isso o mais importante  :thumbup:
É o filme com mais alterações em relação ao original até agora, mas há que compreender que é uma adaptação e certas liberdades são necessárias.

Não vou repetir tudo o que já se disse aqui, não vale a pena, quero apenas referir que

- compreendo terem acrescentado a Tauriel, o filme ficaria demasiado masculino sem ela e não nos podemos esquecer que isto é cinema
MAS
- oh por favor... por muito que eu concorde que o Kili é o anão mais sexy do cinema, um romance é totalmente escusado! principalmente porque foi muito mal executado. algum dia só por causa de uns comentários de um anão (sexy) uma elfo ia flirtar com ele às masmorras? e que diálogos super cheesy... e como se isso ainda não bastasse, vamos por também um Legolas com mau feitio num triângulo amoroso :daa: não arranjavam uma amizade assim tipo Gimli/Legolas?
a separação do grupo por estranha que nos pareça é compreensível para 1º continuar a justificar a existência da Tauriel na história e 2º para continuarmos a seguir o Bard

- a cena dos barris é um pouco de digestão dificil. fartei-me de rir, mas aquilo parecia um jogo de computador... e o Bombur ás tantas dá uma de Disney, não me consigo decidir se gosto ou não! :wacko:

- gostei das aranhas. apesar de não estar totalmente fiel, acho que a cena está sensacional. já avisei uma amiga minha com aracnofobia que não pode ver aquela cena de maneira alguma lol

o melhor do filme terá sem duvida sido a cena Bilbo - Smaug! que baba  :dribble: também gostei da cena Gandalf - Sauron, com a excepção daquele efeito 3 vezes olho dentro de olho...

8/10

e agora esperar um ano pelo próximo  :crying:


"Neste Jardim Selvagem, o lugar dos inocentes é nos braços do vampiro" - Anne Rice

Aulë, o Valar
Humano
***
Offline Offline


Mensagens: 128

Pai dos Anões

Ver Perfil E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #11 em: Dezembro 13, 2013, 03:36:14 pm »
Acho que é unânime que a cena kili/tauriel é horrivel ahahahh
 Em relação ás aranhas, a minha namorada tem aracnofobia... bem, de 2 em 2 segundos coçava-se, dava voltas no banco, quase que me arrancou carne das mãos com as unhas ahahahah complicado isto dos pavores :lol:

goncalopalmeira
Editor de Conteúdos
Humano
*
Offline Offline


Mensagens: 361

Baruk khazâd!Khazâd ai-mênu!

Ver Perfil WWW E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #12 em: Dezembro 13, 2013, 04:51:27 pm »
Bem a primeira parte em Bree até achei engraçada, embora como já vimos não foi leal aos livros, mas não nos podemos esqueçer que à mais gente a ver o filme
A parte de Beorn acho que poderia ser mais leal ao livro, foi muito rápida
A floresta tenebrosa  parecia muito muito pequena, penso que ficaria melhor se tivesse mais parecida com o livro, só vimos os anões a alucinar e a andar em círculos, penso que teria sido melhor tê-los visto no desespero da fome e de verem uma floresta continuar e continuar, senti falta do rio negro e do Bombur adormecido embora não dos banquetes
Gostei da parte das aranhas embora tivesse ficado melhore se o Bilbo lhes tivesse cantado aquela musiquinha e lhes tivesse dado aquele "baile" todo que deu no livro, gosto da captura dos elfos
os salões elficos estavam espectaculares, penso que embora tenhamos estado lá tempo suficiente, ficaria melhor termos ficado mais um bocadinho
a fuga foi gira e todas aquelas expressões de freeman ajudaram a cena tornar-se brilhante. penso que aquela cena de acção, ficou bem mas um bocado exagerada ( como foi a da cidade dos gnomos), penso que o orlando vai bater o shuaznegard  :rocket:
acho que a partir do momento da fuga dos anões está tudo óptimo, as cenas da cidade do lago estão muito boas tendo elas sido tornadas mais complexas do que no livro, gostei muito dessa parte
não gostei da divisão dos anões mas já estava à espera dai não ter ficado realmente triste
a chegada à montanha foi muito rápida deveriam ter posto uma daquelas cenas com banda sonora a mostrar o lago e a montanha
a entrada na montanha foi boa do meu ponto de vista e a entrada em si também estava bem engraçada, acho um bocado parvo não terem dado conta da subida visto ser uma estátua gigante
a conversa com smaug foi muito muito boa tendo mantido aquele espírito que estava no livro
O SMAUG ESTAVA ESPECTACULAR (estou ansioso por uma figura da weta)
acho que a batalha com os anões foi um pouco exagerada
  :gandalf: gandalf em dol guldur foi sem duvida incrivel, embora seja diferente daqilo q sabemos, foi muito boa aquele combate com sauron, as legiões de orcs relembram nos logo isengard e minas morgul e os wargs a lutarem como vemos nas cavernas de isengard , adorei pura e simplesmente
pronto a parte negativa foi o romance entre tauriel e kili  :ranting:  :daa:
Posso dizer que fiquei contente, e quero ir rever o mais rápido possível
Apreciação: 8/10
 :gandalf_b: :gimli_b:
 

Lealdade, honra, vontade, não posso pedir mais que isso

LordOfMoria
Hobbit Stoor
*
Offline Offline


Mensagens: 2

Ver Perfil E-mail
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #13 em: Dezembro 14, 2013, 05:02:26 pm »
Já tinha escrito ontem, mas esqueci-me de pôr aqui:

CRÍTICA - O HOBBIT: A DESOLAÇÃO DE SMAUG [SPOILERS]

Depois de um ANO de espera incontrolável chega finalmente O Hobbit: A Desolação de Smaug, embora sinta que ainda não aconteceu...

Foi sem dúvida um filme ESTUPENDO e talvez um pouco superior ao primeiro. Se no anterior houve um longo início com bastante desenvolvimento das personagens, este foi precisamente o contrário. O começo do filme foi muito agitado e talvez um bocadinho accelerado demais, o memorável capítulo na casa do Beorn foi reduzido a 5 minutos, e o homem-urso só deve ter tido cerca de três falas.
A grande viagem por Mirkwood foi também muito rápida, esqueçam os dias todos que eles andaram perdidos e o Bombur a cair na água, no filme, 80% de Mirkwood foi a luta contra as aranhas incrivelmente concebidas.
Tivemos direito a um tempo equilibrado nas prisões dos elfos e uma cena simplesmente genial na fuga nos barris, talvez uma das melhores cenas de acção que vi na minha vida.
Em seguida o filme foi logo para Laketown, houve um bom desenvolvimento para a personagem de Bard assim como para a sua família e habitantes da cidade.
As cenas em Dol Guldur foram só um aperitivo.
Mas a estrela do filme foi sem dúvida o dragão Smaug vivido por Benedict Cumberbatch e que será provavelmente o melhor dragão do cinema durante muitos anos. As cenas com ele estavam fantásticas embora toda aquela luta dos anões contra o Smaug tenha sido um bocadinho demais. O filme acabou deixando todos desesperados por mais.

Concluindo:

As performances de todos estavam excelentes de destacar Martin Freeman, Richard Armitage, Luke Evans e Benedict Cumberbatch. A Terra-Média estava lindíssima (especialmente no esplendor do IMAX) como sempre, quer CGI, quer Nova Zelândia. Falando em CGI, os efeitos estavam superiores aos do primeiro, e não deu para distinguir o que era real e o que não era, especialmente o dragão. As cenas de acção estavam brilhantes e a história esteve bem, o filme foi filmado em 3D e o efeito funcionou muito bem. O Peter Jackson fartou-se de fazer desvios, maior parte não me importei, até mesmo o mais memorável - a inclusão da elfo Tauriel (a Evangeline Lily portou-se bem) e o seu triângulo amoroso Kili/Legolas. A banda sonora não foi tão boa como no anterior. A minha única queixa foi a distribuição do tempo, muito apressada a chegar a Laketown. Fiquei desiludido com o pouco tempo do Beorn (bem interpretado pelo sueco Mikael Persbrandt) e o pouco tempo em Mirkwood. Bolg não foi nada de especial. Não entedi porquê cortar partes fulcrais da história em vez de o fazer com cenas desnecessárias com personagens que nem estavam no livro. (Alfrid teve mais tempo que o Beorn, Legolas e Tauriel tiveram mais que Thranduil). Ainda assim, expectativas altíssimas alcançadas mas não ultrapassadas, uma obra de arte que merece Oscars, nem que sejam dos efeitos.

?????????? - 9/10

RECOMENDAÇÕES: Não esperem muito do Beorn, Thranduil ou Bolg. Vejam em IMAX 3D, a única maneira possível que se pode ver este filme já que foi filmado para isso.
The son of Fundin

Gwen
Editor de Conteúdos
Maia
*
Offline Offline


Mensagens: 1727

Ver Perfil E-mail

Conquistas

award4
award9
award12
award13
Re: TDOS - Crítica
« Resposta #14 em: Dezembro 15, 2013, 07:34:53 pm »
Bem, eu ainda estou a delirar pela Terra Média e acho que vou estar sob este efeito por muito tempo ainda :p Já há muito  que me convenci que tenho de fazer a distinção entre filmes e livros e assim, apesar de.. algumas comichões, na 2ª visualização (em IMAX - BRUTAL :dribble:) já as aceitei melhor.
Em vez de falar mais do filme vou dizer o que espero MUITO ver na versão extended:

- as cenas com Beörn mais desenvolvidas, até porque ele volta a aparecer na estória;  :w00t2:
- o já pré-visualizado encontro de Gandalf com Thrain em Dol-Guldur;  :ph34r:
- mais cenas dos Anões a atravessar a floresta;
- o banquete dos Elfos.  :toast:

Lacho calad! Drego morn!

Fórum Tolkienianos » Os Filmes e Séries » O Hobbit » A Desolação de Smaug » TDOS - Crítica